Anúncios

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

VOE CADA VEZ MAIS ALTO, POVO BRASILEIRO

Não existe paz para quem é guerreiro
Também não há perdão para quem contestar
Aprenda cidadão - que o Céu brasileiro
É muito mais hostil para quem quer voar.
(Jozias Umbelino)

Memorial da Democracia 
As arribaçãs e andorinhas voam livremente em bandos, querendo fazer o verão acontecer por esse céu brasileiro. Sem medo das espingardas, ora quanto mais alto voarem, menos chumbo irá lhe alcançar.


Há um prólogo poético para esse texto, mas já levanto a voz para lhes questionar: trata-se somente de uma loa de poeta????

Não!! É uma realidade triste. A história brasileira mostra que o país sempre foi autoritário com lideranças que contestam o status quo das elites. E qualquer movimento de revolta que se insurja contra esse status, sofrerá um arrasamento impiedoso. Foi assim com Canudos. Foi assim com o Cangaço. Foi assim com diversos outros movimentos de revolta pelo Brasil inteiro.

Se o Estado Brasileiro age assim com quem lhe contesta, imagina os cidadãos detentores da força econômica e política, que representam uma elite historicamente mesquinha e sanguinária. A elite que manda no Estado Brasileiro. Que deita e rola contra cidadão sem força de expressão. A elite covarde. A elite que matou João Pedro Teixeira, Margarida Maria Alves e diversos outros lutadores do campo e aplicou um revés às Ligas Camponesas.  A elite que deu o Golpe Militar. A elite que matou Mariele Franco!

A história das lutas camponesas está intimamente identificada com a História Brasileira. Com essa historia de repressão e de morte das pessoas que se insurgem contra as elites e o Estado Brasileiro.

Ano após ano, acontecem diversos assassinatos de líderes ou camponeses ligados aos movimentos sociais. Sem falar dos índios... Sem falar dos negros, estes que são tombados, mais silenciosamente, nas favelas, ou em seu ambiente mais restrito que são as comunidades remanescentes de Quilombo. Sem falar também de lideranças que se encorajam a enfrentar essas elites e assumem bandeiras na luta pelos direitos humanos, como Mariele Franco, Doroth Stang, Chico Mendes e tantos outros. Lideranças essas que tombaram frente à violência da elite brasileira.

O que esperar de um cenário político cada vez mais hostil para quem defende os pobres? O que esperar de um país que não quer fazer justiça quando o assunto é assassinato do “pequeno pelo grande”?

Você, cidadão brasileiro, precisa se insurgir contra essa violência dramática. Mas precisa andar em bando. Você precisa ser massa. Não uma massa de manobra. Uma massa de gente, que juntos podem andar de cabeça erguida pelo solo brasileiro e voar sem medo pelo céu hostil desse país lindo, mas violento. Voar em bando como as arribaçãs e as andorinhas, para fazerem verão no céu brasileiro. 

(Jozias Umbelino Leite)

3 comentários:

  1. QUEM PUDER COMPARTILHAR ESSE TEXTO, SERÁ IMPORTANTE. TALVEZ ESSAS PALAVRAS SEJA O QUE MUITA GENTE PRECISE OUVIR PRA ENTENDER MUITAS COISAS QUE ACONTECEM NO BRASIL HOJE.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito bom esse texto fazer uma reflexão sobre nossas lutas

      Eliminar
    2. Que belo texto, precisa ser compartilhado.

      Eliminar

Anuncie

Anuncie
Aqui