Anúncios

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Serie: "Rústicos"



Por: Jozias Umbelino  e Ricardo Gois

O blog Pajeú de Notícias começa a partir de hoje a publicar uma séria de textos sobre as raças rústicas adaptadas à região do sertão nordestino. Essas informações são importantes para os criadores de pequenos animais ao mesmo tempo em que deixarão nossos leitores com conhecimento técnicos sobre as melhores raças para se criar em nossa região. A raça de hoje é uma caprino  "Moxotó".
 
Fonte:http://www.insa.gov.br/index.php/content/view/48.html
Segundo João Suassuna O primeiro registro de que se tem notícia da presença dos caprinos no Nordeste data de 1535, portanto, no início do período colonial do Brasil. Oriundas dos Pireneus (origem pirenaica), as cabras se fixaram em duas outras regiões da Europa, através das seguintes rotas: uma seguiu na direção dos Alpes e outra na direção da Península Ibérica, notadamente no sul da Espanha e Portugal, regiões compreendidas entre as latitudes 36º e 44° norte, e posteriormente vieram para cá, trazidas pelos colonizadores portugueses.Várias raças foram trazidas para as baixas latitudes dos trópicos, principalmente para o ambiente seco nordestino, o que, ao longo desses quase quinhentos anos, com as cabras enfrentando secas avassaladoras e sofrendo intenso processo de cruzamentos entre si (seleção natural negativa), resultou em animais improdutivos em termos de função leiteira (as fêmeas mal produzem leite para o sustento de suas crias), mas detentores de características genéticas valiosas: a rusticidade, prolificidade e qualidade de pele.
Moxotó

Das raças brasileiras a Moxotó é a única reconhecida oficialmente, com livro de registro genealógico. Entre as características destaca-se rusticidade e a prolificidade, com aproximadamente 40% de partos múltiplos. A pelagem é baia ou ligeiramente mais clara, com uma lista negra partindo da borda superior do pescoço até a base da cauda. Outra lista circulando as cavidades orbitais descendo lateralmente até a ponta do focinho
É uma raça de pequeno porte, com baixa aptidão leiteira, mas boa produtora de carne e excelente produtora de pele. Tem pelos curtos, lisos e brilhantes. Com altura para macho e para fêmea variando entre 50 e 70 centímetros (cm) e com peso médio ao nascer variando de 2,00 a 2,30 quilos (Kg) e, para adultos, o peso está em torno de 34 quilos (Kg). Cabeça de tamanho médio e perfil reto, chanfro levemente cavado, chifres fortes, retilíneos, dirigidos para cima e para trás, orelhas bem implantadas, pequenas e eretas. Pescoço curto, forte, bem implantado e erguido, com ou sem brincos. Corpo musculoso, profundo e de comprimento médio; membros curtos, fortes e bem aprumados. Abaixo dos joelhos e jarretes são de uma coloração escura, o mesmo ocorrendo com o ventre, mucosa, úbere e unhas; garupa curta, larga e bem inclinada; úbere pequeno, bem inserido, e com tetas bem conformadas.
A produção de leite é em torno de meio litro por cabra por dia (0,5L/cabra/dia), durante um período de lactação médio, de aproximadamente quatro meses.
Esta raça encontra-se dispersa nos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí e Bahia. Nos últimos anos vem desaparecendo gradativamente em decorrência dos cruzamentos não orientados e da falta de um programa de preservação desse germoplasma.



Sem comentários:

Publicar um comentário

Anuncie

Anuncie
Aqui