Anúncios

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Solidariedade aos presos da Reforma Agrária na Paraíba

Lutas e resistência: a terra é um direito que foi negado e o abuso de poder dificulta a conquista da terra.

Nos últimos anos as regiões do Agreste, Zona da Mata e Litoral paraibano estão passando por intensos conflitos de terra, numa acirrada luta entre agricultores tradicionais e fazendeiros proprietários de terras nesses territórios. Nos municípios de Mogeiro, Itabaiana, São José dos Ramos, Pilar, São Miguel de Taipu, Sapé e Santa Rita, vários crimes contra os agricultores já foram registrados, incluindo ameaças, desrespeito e mortes. A resistência dos camponeses se dá por causa do forte trabalho de conscientização política realizada pelos movimentos sociais, com destaque para a Comissão Pastoral da Terra (CPT), que conseguiu mostrar aos agricultores que eles são sujeitos de direitos e precisam lutar ferrenhamente por eles Leia a baixo o depoimento.
Zacarias agricultor 



Solidariedade aos presos da Reforma Agrária na Paraíba Esse é seu Zacarias, conhecido por seu Caria. Um dos 8 presos no conflito de Pau Apique no Municipio de São José dos Ramos, na Paraiba. Seu Caria tem 76 anos e está preso acusado de invasão da fazenda Pau Apique, onde nasceu e mora até hoje. Seu Caria e mais os outros 7 companheiros representa as 80 familias da comunidade e a luta de todos camponeses que ainda nos dias de hoje sofrem sem acesso a terra, mesmo morando nela desde que nasceu. Foi escravo da fazenda até entender que a terra é um direito sagrado e resolveu lutar junto aos companheiros para se libertar do fazendeiro opressor e dar destino a sua vida e dos seus companheiros. Mas com muita convicção de que sua prisão é injusta, se necessária ela for encara as grades com coragem e esperança de dias melhores. 

O proprietario, Paulo Maia Filho é desembargador do TRT13, é quem acusa os camponeses de invasores. É contra o sistema judiciário que os camponeses batalham. Passamos por um momento de retrocesso e percas de direitos em nosso país com essa força conservadora retirando direitos básicos. Disse seu Caria aos companheiros: "A gente vai sair e vai trabalhar na terra, agora é que ninguem pára". A luta segue e viva o povo que luta. Seu Caria e os 7 companheiros foram presos na última quarta feira, 25 de janeiro de 2017. A comunidade é acompanhada a quase 2 anos pela CPT João Pessoa. Liberdade para os presos da Reforma Agrária na Paraíba.

Por: Assessoria de Comunicação da CPT Paraiba

Contribução textual: Jozias Umbelino

1 comentário:

Anuncie

Anuncie
Aqui